Buscar
  • Patriarca Bar - EACM360

A História do Samba

Anualmente, o dia 2 de dezembro é considerado o “Dia Nacional do Samba” ou somente “Dia do Samba”. A data comemora um estilo musical e dança popular e típica do Brasil, sendo apreciado em todo o seu território, embora seja mais significativo no Rio de Janeiro e na Bahia.


A UNESCO, em 2005, tombou o samba de roda uma obra-prima oral e imaterial da humanidade, tornando-se o primeiro gênero musical brasileiro a receber essa honra.


Existem algumas versões sobre a real etimologia da palavra “samba”, mas a mais aceita é que o substantivo advém do termo africano “semba”, o qual significa “umbigada”, e este faz referência a uma dança de comemoração feita pelos escravizados em seus raros momentos de folga.


A união dos batuques com instrumentos e a mistura de ritmos europeus, como valsa, minueto e polca, o samba foi cada vez mais sendo desenvolvido. Que esse gênero musical é de grande importância para a população brasileira você já sabe, mas você sabe qual é a história do samba?


Sua origem deve-se ao povo africano escravizado, pois, junto a ele, trouxeram suas culturas, costumes e principalmente percusão e batuques, os quais estavam ligados a elementos e rituais religiosos que passaram a servir como um meio de comunicação entre os negros. Inicialmente, “samba” fazia referência somente a festas de danças em que se usavam o canto e instrumentos desenvolvidos para a comemoração em roda, entretanto, com o passar do tempo, houve a evolução do termo e do que ele abrangia.


Mesmo que ainda escondido e não sendo popular, esse foi o seu início, por esse motivo que o Recôncavo Baiano é conhecido como “Berço do Samba”, já que a Bahia foi um dos estados que mais recebeu os negros escravizados, principalmente os Nagôs (Iorubas) e Haussás.

No entanto, somente após a abolição tardia da escravatura no Brasil, quando ocorreu um grande êxodo da população africana e de seus descendentes, que anteriormente estava presa a lugares específicos (onde aconteciam os trabalhos forçados, como em plantações de cana-de-açúcar), foi quando o estilo musical passou a ser mais forte e popular.


Por volta do final do século XIX, a cidade do Rio de Janeiro, a qual na época era a capital brasileira, decorrente a essa movimentação do povo negro, começou a comportar muitas dessas pessoas. E, foi quando começaram a aparecer as conhecidas “favelas”, pois embora tivessem sidos de alguma forma libertos, os negros não tinham recursos, terras e lares, então, começaram a construir suas próprias casas à margem da cidade. Foi também nesse momento em que houve a grande expansão das religiões de matrizes africanas, da capoeira e das famosas rodas de samba, apesar de ainda não serem bem vistas pela elite e política brasileira.


Dois anos depois da promulgação da Lei Áurea, foi estabelecida na legislação o crime de “vadiagem”, então, qualquer pessoa que foi pega com a posse de instrumentos de percussão, praticando qualquer atividade ligada à cultura africana ou que até mesmo não comprovasse ser empregado (ou de boa família), era detido e podia permanecer até 30 dias na prisão.








No entanto, a população negra não se deixou abalar e passou a encontrar-se escondida em casas de matriarcas afro-descendentes, mesmo a lei sendo vigente durante um longo tempo. Todavia, tornou-se evidente a resistência das pessoas negras em não ceder em relação a sua cultura e ancestralidade, que no ano de 1917 foi gravado o primeiro samba do Brasil escrito com Donga e Mauro de Almeida, chamado “Pelo Telefone”.


Durante o “Estado Novo” no governo de Getúlio Vargas, voltou a intensificar-se a perseguição por sambistas, mas como o samba começou a ser adotado pela população branca, passou, então, a ser mais popular em todo o país, sendo associado à festividade do “Carnaval”, o qual, mesmo sendo muito conhecido no Brasil, teve a sua origem na Europa.







Por toda essa história, o samba é muito mais que somente um estilo musical e de dança, carrega consigo a história de um povo e o desenvolvimento de um país, e as letras de suas composições costumam fazer referência à população negra no Brasil, sua resistência e a origem do samba.


Ficou com vontade de viver uma história com o samba? Vem para o bar com a melhor música ao vivo da Vila Madalena! O Patriarca Bar está localizado na Rua Mourato Coelho, 1059, esquina com a Rua Aspicuelta. Te esperamos aqui, no bar mais feliz da Vila Madalena.


9 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo